sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Seja sua essencia, não importa como ela seja...
As pessoas darão valor ao q vc é, não ao q vc parece...
Ria quando estiver alegre, mas chore muito se estiver triste...
Fale alto qdo quiser q todos ouçam, mas fale baixinho qdo o momento pedir um sussurro...
Faça caras e bocas para as dificuldades da vida, mas não hesite em fechar a cara se algo realmente não lhe agrada.
Espante seu mau humor com música...de boa qualidade...
Ame com toda intensidade do mundo, mas cuidado pra não se machucar.
Viva o hoje como se vc não estivesse mais aqui amanha.
Por ironia, pode não estar.
Valorize pessoas importantes antes q elas se vão sem tempo de dizer Adeus...
Cuide bem das crianças...eles podem vir a cuidar de vc no futuro...
Não há nada pior q uma criança q cresce com odio no coração.
Trate bem os animais. Um dia talvez podem ser sua unica companhia.
Enfim...aproveite os momentos bons, pois eles não voltam...
Comemore as vitorias...
Lembre dos momentos ruins, pois deles vc tira mto aprendizado...
E seja feliz...

Não sei de onde tirei.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Natal...

A vespera foi meio desanimada...todo mundo indo dormir cedo, pelo cansaço do dia, eu trabalhei o dia inteiro.
Mas fiquei aqui, acordada, e quando deu meia noite, mandei mensagens pelo celular para todos os meus amigos. E recebo uma de volta, de alguem muito querido, perguntando se eu vou pra festa. Maldita canseira! Eu podia ter me divertido bastante. Mas semana que vem ta aí, e o Ano Novo promete!!
Hoje foi um dia melhor...familia em casa...almoço bom, muito bom. Comida da mamãe é a melhor do mundo.
E amanhã? Meio dia, trabalhando de novo. Que saco!!!!

domingo, 21 de dezembro de 2008

E pra quem vem em ver...



Um Feliz Natal!!!!


Pois é...mais um Natal...e logo, mais um ano que termina.
2009 está aí, e com ele, surpresas, coisas diferentes, se Deus quiser.
Eu estou pronta! E vocês???

Minha Retrospectiva

- O ano começou com uma festa muito loca, um pequeno romance, e só. Eu estava sobria, depois de um vexame alcoólico, que eu disse que não ia mais beber.
- O carnaval foi legal, mas um pouco triste por causa do romance acima.
- Depois da decepção no carnaval, o fim do romance.
- Uns beijos, dessa vez com um carinha da banda que eu era apaixonada há 1 ano. Mas não passou disso, e eu continuava gostando dele. E ele da minha amiga, que não queria nada com ninguem.
- Festa, festa e mais festa. E eu voltei a beber. Não aguentei.
- Um tempo depois eu dei mais um vexame na casa da amiga. Dessa vez eu chutei o balde, perdi a consciência e saí do corpo mesmo. Até mordi o braço da minha mãe, tomei uma surra e não me lembro de nada. Parei de beber de novo.
- Correria total para o aniversario da amiga. Tudo organizado em 3 dias. Foi loco também. E eu sóbria.
- Férias!! Que não foram muito bem aproveitadas por causa da morte do pai da minha amiga. Vinte dias entre hospital e velório.
- Entre tudo isso, um novo romance, que me fez vibrar e me apaixonar. Detalhe: prefiro não comentar...
- Uma alergia, não se sabe por que, me fez empipocar inteira e ficar com labios maiores do que os da Angelina Jolie. Tomei um remedio que me deixou dopada.
- Briga. Com a minha amiga. Saí da banda nessa época.
- Comecei a curtir mais a minha familia, e rever meus conceitos sobre mutualismo numa amizade. E voltei a beber. Alcólatra não tem jeito.
- Volta da amizade. Mas eu continuei com a ideia sobre o mutualismo e decidi que não seria mais assim.
- Minha amiga começa a namorar um cara muito legal que amava ela de paixão. Agora está tudo bem, pensei eu.
- Terminei meu romance. O que não está certo, não pode continuar. Sofri, chorei, me descabelei. Na verdade, ainda dói um pouco até hoje. Mas um dia passa.
- Voltei pra banda. Mas mal voltei, e ela se desfez. Um conflito de responsabilidades e mancadas fez cada um seguir seu rumo. A maior parte saiu e formou outra banda, e o restante resolveu continuar a mesma. Menos eu, que prefiri ficar neutra e continuar amiga de todo mundo enquanto eles queriam se matar.
- Problemas na casa da amiga, idéias desencontradas, uma historia de jogar um contra o outro, envolvimento de muita gente, inclusive da minha familia, e o namoro dela acaba. Ela jogou a culpa toda no namorado, o que não era verdade. A culpa era dela.
- Ela vem na minha casa chorando copiosamente, e em seguida dá risada dizendo que voltou ao posto dela e que agora ela está solteira e livre. "Socorro", pensei eu.
- Voltou a tentativa de mutualismo, egoísmo, vitimismo e outros "ismos". E eu comecei a estressar.
- Um desanimo horrivel tomou conta de mim, ainda mais nessa época em que o comercio fica até 22h tabalhando. Ela vem com o papinho de que eu estou me afastando e que ela está magoada.
- CARALHO! Eu to morrendo e nego - que fica coçando o dia todo - quer que eu chegue destruida em casa e ainda vá lá pagiar? Páaara!! Eu não tenho filho desse tamanho!!
- Foi quando um dia, eu saí com a minha familia (MINHA FAMILIA), cheguei um pouco mais tarde, e ela viu. Na segunda, nem me olhou na cara. Acabou, eu deduzi, e tratei de catar as minhas coisas que estavam usurpadas lá. Fim da história, ela é a vitima, e eu e meu irmão, os monstros. Quer saber?? Foda-se. Se não tá bom, dá um fim e boa.

Esse foi o meu ano. Bom em uns pontos, horrivel em outros. E agora ele está acabando também. Será 2009 um ano melhor? Ficaduvida.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

É incrível o poder que as pessoas têm de magoar outras
sem ao menos se importar com o que se passa com elas...

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Ultimamente meus dias estão sendo de total desanimo.
Eu já vinha me sentindo cansada pra tudo, mas agora, trabalhando no comercio(senzala) esta pior.
Minha vida ta se resumindo em casa -> trabalho / trabalho -> casa. Isso se eu não tiver que sair pra algum lugar.
Minhas noites de bornaça estão indo pro brejo. Amigos me questionam sobre ausencia e aparente falta de amizade.
Não é por mal. Eu não queria estar assim.
Eu to num misto de tristeza/desanimo. Não me pergunte. Nem eu sei.
Eu apenas gostaria que as pessoas tentassem entender o meu lado antes de fazer cobranças. Que eu já não tenho aquela disposição pra acompanha-las nas noitadas loucas da juventude. Eu ando sentindo que a minha juventude anda dando espaço a uma idade precoce. Mente cansada, corpo cansado. Um bagaço.
Isso não significa que eu não ame meus amigos e não queira estar perto deles.
Ultimamente eu simplesmente não to. Só a minha carcaça tá.

sábado, 22 de novembro de 2008

Extremamente estressada com as pessoas.
Tão estressada, que se eu esbarrar em alguem, explodo, tal qual um missil.
To sem paciência, sem calma, tolerância zero.
.
.
.
.
..
...
....
...........BOOOOOOOM!!!!!!!!!!!!!!!!!!

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Essa semana, desde segunda-feira, está sendo feia. Preta.
Meu trabalho deve estar com uma uruca que amanhã mesmo eu vou jogar sal grosso naquela loja, ahhhh vou.
Muita coisa dá errado ao mesmo tempo. Não da pra entender.
De repente tudo vira de ponta-cabeça e você pensa serio na possibilidade de criar um clone de si mesmo, enquanto você some.
Como eu não consigo, estou pensando seriamente na possibilidade de sumir.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Nossaaaaaaaaa.
310 visitas.
E NINGUEM COMENTA!!!!
Ás vezes me sinto um moleque preso no corpo de uma garota.
Não vejo graça em tanto sacrificio em favor da beleza externa.
Claro que eu me rendo a um conjunto lapis-de-olho-rimel-delineador-gloss. E só.
Dou uma ajeitadinha no cabelo de vez em quando. Claro, ninguem quer andar junto com a Bruxa de Blair, certo?
Mas, sei lá. Fazer escova todo santo dia não dá. Não tenho paciencia. Meu cabelo nasceu assim, e infelizmente vai morrer assim. O que posso fazer é domar a juba.
Passar quilos de maquiagem só pra ir à padaria comprar pão definitivamente não sou eu.
Tipo, naqueles filmes onde o cara faz uma surpresa para a mocinha, fazendo uma visita inesperada, e essa aparece como que saída de um filme da Barbie. Se alguem fizer isso comigo, ele vai me encontrar à propria essencia. Roupas velhas, óculos na cara e um cabelo desgrenhado. Essa sou eu.
Não adianta você se empetecar até a morte. Depois que você casar com o cara, imagine o que ele vai pensar quando acordar do seu lado e te ver "in natura"? Cruzes! Cadê a minha mulher!!!
Não tenho medidas astronômicas. Não tenho "vantagens". Sou razoavel. Mais embaixo que em cima. Uma barriguinha. De leve. Claro, eu sou uma eximia trituradeira, não dá pra fazer milagres. Não sou linda de morrer. Mas sou regular, eu acho.
Não tenho frescura. Pego uma barata pelas antenas se for preciso. Ja matei um rato. Mas nunca, NUNCA me mostre uma aranha.
Desde pequena, sempre fui um moleque. É como se minha mãe tivesse dois meninos. Gostava mais dos carrinhos do meu irmão do que das minhas bonecas. E eu pegava os carrinhos dele pra mim. Acho que sei agora porque ele quebrou uma boneca minha. Vingança.
Não sou delicada. Não gosto de coisas fofas, cheias de fru-frus (coisas simples pra mim se tornam fofas), roupas de Barbie e ODEIO rosa. Prefiro mil vezes uma feijoada a uma salada. Mil vezes uma caneca de cerveja a um copo de suco. Odeio tudo que é light. Amo comer. Muito. Até doer a barriga. E não me culpo, não enfio o dedo na garganta depois nem passo uma semana sem comer. Nada disso. Eu como é mais assim que passar a dor.
Mas tenho meu lado moça sensivel. Eu choro com coisas comoventes. Com coisas alegres e com coisas tristes. Eu derreto num gesto bonito de alguem que eu amo. E eu sou extemamente melosa ao demonstrar o quanto eu amo alguem. Coisas que realmente fazem sentido. Coisas que realmente fazem aflorar a menina que há dentro de mim, num cantinho escondido.
Nãaaaaaaaaaaaaaaaaaao!!!
Não pode ser, não pode ser, não pode ser!!
Mas é.
O meu site preferido de crônicas vai acabar. *Snif*
Depois de 5 anos de muitas viagens aos anos 80, muitas risadas e muitos Ooownn de coisas fofas q eu li lá, ele vai acabar.
Bom, mas pra quem ainda não leu, ainda dá tempo de dar uma espiadinha lá e ver.
To triste.

O que é?

~> Zi Pipo
~> Tchesco
~> Luci
~> Anãzinha
~> Chiquita
~> Lu
~> Lucita
~> Panosso
~> Pai Nosso
~> Panostro
~> Pigmeu
~> Gnomo
~> Cuti

Esses foram alguns dos meus apelidos durante a minha vida.
Provavelmente devem ter mais, mas eu não me lembro.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Sessão Nostalgia

Hoje eu conversei com uma pessoa que há muito tempo eu não conversava, nem via. O Róger. Meu melhor amigo do 3º colegial. Ele é uma pessoa muito querida.
Ficamos lembrando daquela época que éramos inseparáveis, e de como dá saudade não ter mais aquele tempo de volta.
Mas já combinamos uma rodada de cerveja pra relembrar. Oba!

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

É...ta dificil de eu levar alguma coisa adiante...tudo por causa de um Coração Burro da Porra.
Coração esse que pensa ainda em sentimentos passados que teimam em atormentar o meu presente.
Ta complicado de superar. Mas um dia eu consigo. Eu espero.

domingo, 28 de setembro de 2008

Foi um dia liiiiiiiiiiiindo!!!
O dia foi cansativo, mas à noite eu saí pra encontrar uma pessoinha muito especial que apareceu na minha vida!
Uma graça...um doce, uma amor de pessoa! Perfeito!!
Uhuuuu!!

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Hoje baixou a Isaura em mim.
Fiz faxina na loja toda!
No mais, nada de anormal, pelo menos parece que a zica de ontem passou.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Hoje foi um dia lazarento.
Só tomei fumo, só encheção de saco, inventação de moda, e eu quase caí com a moto na hora de sair. Aff
Será amanhã um dia melhor???

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Ele é um dos anjos que eu tenho na vida.
Mas é MEU anjo da guarda particular.
A gente briga, se ama, se dá febre, mas eu dou mais febre nele.
Ele me dá conselhos, broncas, e ri das minhas palhaçadas.
Ontem, quando eu estava contando sobre uma reportagem que eu vi que os ET's iriam pousar na Terra no dia 14 de outubro, ele me solta: "Eles vão vir te cumprimentar pelo seu aniversário", que é no dia 15.
Mas hoje é ele quem está ficando velhinho. O meu tatão.


Parabéns meu gatinho!!

terça-feira, 16 de setembro de 2008

A vida, essa brincalhona...sempre me dá uma rasteira.
Mais uma pra minha coleção. E nem vale a pena colocar aqui.
Quando é que eu vou ter paz??
Até quando eu to quieta no meu canto, tem sempre alguem pra me perturbar.
Ja deu né?

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

A Felicidade está nas pequenas coisas da vida

Está no cantar dos passaros
Na chuva em meio ao sol da tarde, que enche de luz a todas as coisas
Está no sorriso meigo de uma criança
Nos gestos simples de carinho por parte de alguem muito querido
Está naquela flor que você cuida com tanto carinho

Está na capacidade de enxergar, não as coisas grandiosas,
Mas sim de saber descobrir nos pequenos detalhes um sentido a mais para a vida.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Mais um pouco de mim

Eu sou a confusão, a indecisão.
Eu sou o realismo, não o otimismo. Sou pé-no-chão.
Sou perfeccionista, gosto de tudo no seu devido lugar.
Sou justa. Odeio gente que quer crescer em cima dos outros.
Não demonstro sentimentos que não possuo. Assim como não tolero quem eu não gosto só para parecer educada.
Se amo, amo pra valer, intensamente. E sofro depois.
Eu quebro a cara e juro a mim mesma não me entegar de novo. E me entrego.
Eu me dôo por um amigo, por um amor, por qualquer pessoa que eu penso que mereça. Em 90% dos casos eu me ferro. Mas nem por isso vou ferrar todo mundo.
Eu sou uma "boa samaritana". Mas também posso ser uma "má samaritana".
Não me faça perder a paciência. Nem me irrite.
Não tenho as melhores palavras pra confortar alguem. Mas sou uma ótima ouvinte, falando na hora certa. Às vezes o que a pessoa precisa não é de alguem pra rebaer o que ela diz. Só precisa de um ouvido amigo.
Sei machucar as pessoas também. Mas não o faço à toa. Só quando chego no limite da tolerância. Posso proferir palavras que atingem onde mais dói. Pra pessoa sentir a dor que causa às outras.
Posso ser ao mesmo tempo um mar calmo e um vulcão furioso. Tudo depende dos fatos e do tempo. E, claro, das pessoas também. Posso perdoar as pessoas que amo 1 milhão de vezes se for preciso. Mas não admito uma unica gafe de quem se intromete na minha vida sem ser convidado.
Sou o calor e o frio.
O amor e o ódio.
O inverno e a primavera.
A menina veneno e a menina doce.
A agua e o vinho.
Sou imprevisivel, instavel, mutavel.
Sou o contrario da maioria.
Sou estranha. Com pensamentos estranhos.
Sou perfeita? Claro que não! Ninguem o é.
Em varias coisas cresci. Em outras ainda sou uma criança aprendendo. Em terceiras coisas, sou uma eterna criança.
Eu sou assim.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Hoje me lembrei de quando eu era pequena. Bom, eu AINDA sou pequena, mas de quando eu era criança.
A minha casa ainda tinha quintal, era um pedaço cimentado e o restante era terra, que tinha uma horta, algumas arvores, e era o meu santuário de muitas brincadeiras.
Lembro que meus pais colocavam um colchão na parte cimentada, e eles, eu e o meu irmão deitávamos, todos juntos à noite, e ficávamos contemplando o céu estrelado.
Como era lindo...eu sempre fui apaixonada pelo céu e as estrelas à noite...
Morro de saudade daquela época, em que eu era criança, sem malicia, só conhecia o amor dos meus pais, não aquele amor que machuca, mas aquele que conforta, que faz bem.
E queria voltar àquele tempo tão bom...

sábado, 30 de agosto de 2008

Não deu. Eu tentei, mas não deu mesmo.
Não dava pra conviver com alguem que me colocou num pedestal sem ao menos me conhecer direito.
Eu quero alguem que me faça bem, não que me sufoque.
Mas o drama feito foi tão grande que fez com que eu me sentisse um monstro insensivel. E pior, descobri que o filho da puta era casado.
Agora ele me liga 12 vezes no espaço de uma hora, e mais 12 vezes ao longo da noite. Ele pensa que eu não durmo??
Só que se pensa que vai me vencer pelo cansaço, aí é que se engana. Quanto mais insistência quando eu não quero, maior é o meu grau de irritação. Não espere eu perder a pouca paciência que tenho.

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Tá. Eu sei que eu sou insuportável às vezes. Que eu só reclamo. Que eu sou nervosinha e ruim demais. Que eu sou teimosa e brigo pelo que eu acho certo. Que eu sou briguenta e não há santo que me faça mudar de opinião. Que se eu quero assim, é assim e pronto.
Preciso me analisar. Parar de reclamar um pouco. Se to sozinha, é porque to sozinha. Se não me dão atenção, é porque não dão, se dão, é porque dão. Preciso entrar num acordo, caso contrario, num (im)possivel casamento (?) minha vida vai ser assim:

Algo aconteceu. Algo que eu nunca imaginava que iria acontecer na minha azarada vida.
Que bom, mas se por um lado eu me sinto feliz, por outro tenho medo.
E por um terceiro lado, ja to me sentindo sufocada.
Sou romantica sim, e gosto que sejam comigo.
Mas ser pegajoso é diferente. Me sufoca. E eu detesto que me sufoquem.
Eu gosto de ficar sozinha às vezes, gosto de viver o meu mundinho, e a pessoa parece que não quer deixar isso acontecer.
Na minha vida é assim. Ou é 8, ou é 80.
Pô, não dá pra ter um meio-termo?

sábado, 23 de agosto de 2008

O "encontro" foi legal...
Vamos ver o adiante...

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Oba Oba
Amanhã eu tenho um encontro!
Encontro...parece coisa de criança.
Mas o que importa é que eu conheci uma pessoa legal.
E amanha vamos nos ver num horário diferente do normal, que é quando eu to sentada na porta da loja esperando abrir, e ele passa, indo pro trabalho.
Ai ai ai! Será que dessa vez dá certo?? Veremos.
Mais detalhes amanha.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

A Internet é uma coisa espantosa.
Ela transforma muitas pessoas aparentemente normais em...pessoas anormais!
Às vezes você conhece uma pessoa, tem um papo legal com ela, e de repente ela te faz a pergunta: "Voce tem msn? Podemos conversar por lá".
Ninguem se contenta em ter uma amizade real. Tem que ter um lado virtual.
Aí você passa, e bastam 5 minutos de conversa para o cara se revelar um tarado.
O que acontece????
Quer dizer, você conversa com ele, e depois não vai ter coragem de encará-lo de novo depois de tudo que ele disse.
Tem pessoas que gostam desse tipo de conversa. Eu não. Isso pra mim basta para terminar uma amizade de todas as formas.
A mesma coisa quando eu entro num chat. Se eu conversar com 10 pessoas, posso dizer que aproveito a conversa com apenas 2 delas. E olhe lá.
É só adicionar o dito cujo no msn, e lá vem: "Você tem foto?" "Tem uma foto SEM ROUPA????" "Tem web cam?" "Me mostra?" "Faz isso, isso, aquilo (e outra porrada de coisas indecentes)??".
Eu tenho uma web cam. Mas mostro pra quem conheço e sei que não vai me pedir isso.
E mesmo que eu mostre pra quem não conheço muito, se pedir alguma coisa indecente, eu fecho, mando o individuo se ferrar e ainda excluo.
Acho que as pessoas tem que perceber que não é porque você gosta de conversar via internet, que você seja libertino como a maioria.
Pra mim a internet é um meio de aproximar pessoas distantes que possam construir uma amizade legal, não um centro pornografico.
Pena que a maioria pense na segunda opção.

sábado, 9 de agosto de 2008

Hoje é o baile.
Pela cara do tempo, vamos rezar para que não chova. Eu amo chuva, mas dá um tempo hoje né??
Acho que pelo menos frio eu não passo....cigana comportada né...haha
Vamos ver o que vira.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Sabado tem baile à fantasia aqui em Jabuka City.
Dia de ver caras com as fantasias mais estranhas, e garotas com microfantasias. E dar muita risada com isso.
Eu, como boa moça que sou, e não gosto de mostrar nada, vou de cigana.
Claro, uma cigana anã.
Não vou prometer dessa vez, mas se der eu posto uma foto aqui.

domingo, 3 de agosto de 2008

Dentre a semana pavorosa, algo de bom aconteceu.
Não me tirasse da desgraçada tristeza que me assola.
Mas algo bom.
Dormi na casa de uma tia, com meu irmão, a vó e um priminho capeta.
Espalhamos colchões na área do fundo, trouxemos a tv pra fora e colocamos um filme. Eu, claro, cansada, destruida, acabada, dormi antes da metade do filme. Pelo que sei, eles acabaram aquele e assistiram mais um.
No outro dia, um ventinho gelado e um barulhinho caracteristico da chuva, que eu tanto amo. Manhã perfeita.
O resto do dia transcorreu normalmente, e agora, eu voltei ao meu estado morbido de tristeza.

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Quando a tristeza toma conta do seu dia, é horrivel.
Você chora, chora, chora, derrama lágrimas infinitas
e parece que nada vai arrancar a dor que está dentro do coração.
Meu coração está despedaçado. E o pior é que eu nem sei o porquê.

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Quinta-feira.
São 16h 6min. Patrão de férias = a gente de férias dele. A hora não passa.
Eu comi demais.
Não se tem o que fazer.
E não entra uma alma viva nessa loja.
E quando chega serviço, aparece gente até do chão. Aff.

domingo, 20 de julho de 2008

Semana de festa, niver da cidade, Festa do Quitute, bagunça.
E eu acordo com uma dor desgraçada no estômago. Porra.
Mas eu vou mesmo assim. Ele não estava aqui antes, então, não vai ficar aqui também.
Depois posto as fotos.

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Claro que aqui tem que ter um espacinho para minha banda de rock preferida né?
System of a Down. Muitos podem não gostar, ou achar as letras podres, mas eu consigo ver um significado nelas. Não em todas, porque algumas chegam a confundir a minha cabeça, mas amo de paixão.
Aqui vai uma música, que expressa um pouco do que eu andava sentindo dias atrás...

ROULETTE

I have a problem that I cannot explain
I have no reasons why it should have been so plain,
Have no questions but I sure have excuse
I lack the reason why I should be so confused,

I know, how I feel when I'm around you,
I don't know, how I feel when I'm around you,
Around you,

Left a message but it ain't a bit of use,
I have some pictures, the wild might be the deuce,
Today you saw me, you saw me, you explained,
Playing the show and running down the plane,

I know, how I feel when I'm around you,
I don't know, how I feel when I'm around you,
I know, how I feel when I'm around you,
I don't know, how I feel when I'm around you,
Around you,

I know, how I feel when I'm around you,
I don't know, how I feel when I'm around you,
I know, how I feel when I'm around you,
I don't know, how I feel when I'm around you,
Around you, Around you, Around you...



Eu quero um desses pra mim

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Ninguém vem me ver
Ninguém vem me ler
Me sinto tão sozinha...
Alguém por favor, comenta aquiiiiiii

Pedido de uma aspirante a blogueira desesperada

domingo, 13 de julho de 2008

Domingo é dia de fazer nada, de beber bastante e dormir. Não há nada de mais util pra fazer. Pra mim, domingo é dia mundial da preguiça. Eu acordo tarde, bebo e nem almoço.
Fico aqui morgando na net, não saio de casa porque não tem nada que preste na cidade de domingo, vou comer alguma coisa à noite quando a fome finalmente bate, e vou dormir. Dia bão.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Amar é uma perda de tempo.
Mas da gosto perder tempo amando.
Faxina no quarto é uma coisa muito louca.
A gente encontra umas coisas, olha bem e diz: "Putaqueopariu!!!!!"
Eu tinha uma inspiração romantica ridícula.
De quando eu ainda acreditava em amor.
E mal sabia as decepções que estavam por vir.
Mas hoje não...
Me apaixono, amo, mas não acredito em amor.
Aí eu acordo, acabo com tudo e desencano. Tudo bem, a ultima parte demora mais, mas chega.
A minha vida é engraçada.
Quando eu fico com alguém, e não me apaixono, a pessoa gruda feito meleca.
Aí eu vou dando perdido até a pessoa desistir.
Ou eu até gosto, até que começa a ficar sério. Aí eu sumo.
Ou eu me apaixono de verdade, e o cara some.
Aí depois de um tempão ele volta, me conhece direito e se apaixona, depois que eu ja desencanei. Acredite, isso ja me aconteceu umas 8 vezes!
Ou eu gosto, ele gosta, mas é comprometido.
Vai-se-fude. Eu não tenho vez mesmo.
Se um dia aparecer uma alma boa que consiga o milagre de me fazer voltar a crer em amor, com certeza esse filho de Deus vai ter uma lugar bem grande no céu.
Sacrilegios à parte. É verdade.
"Viva a vida sem se importar
com o que as pessoas vão pensar de você
Não deixe que a calúnia lhe desperte
a infelicidade
Pois é assim que fará com que seus inimigos se sintam vitorioso
sobre a sua derrota
Viva o hoje sem temer o amanhã
Viva o amanhã sem os ressentimentos do hoje."

Achei esse texto perdido entre as minhas coisas antigas.
Esrevi há uns 5 anos.
A conclusão que eu tiro disso hoje é:

LIGUE O FODA-SE E SEJA FELIZ!
haha

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Sábado
Retorno de uma amizade.
Reencontro com os amigos. Saudades de todos. Duas semanas foram um século.
Festa. Banda. Eu cantei de novo com eles. Matei a saudade, mas não voltei.
Não fui feita para os palcos.
Mas me diverti demais da conta.

Domingo
Sitio.
Familia.
Cerveja, muita cerveja. Delicia.
Jogo de maia.
Fazia tanto tempo que eu não ia pra lá que indo, com a familia inteira, foi perfeito.
As crianças fazendo bagunça, e cada vez que as vejo, me lembro de como crescem rápido, e de como estou ficando velha rápido também.
E cada vez mais percebo de como os amo. Todos, sem exceção.
Eu bebi, fiz palhaçada, brinquei, dei muita risada.
Depois do almoço(eu não almocei), capotei num colchãozinho que é a metade do meu tamanho.
Acordei com a minha mãe me chamando que ja tinha todo mundo ido embora.
Voltei dormindo no banco do carro.
Cheguei, pedi um lanche que demorou uma eternidade pra chegar.
Me alimentei e depois dormi como uma criança.

Segunda
Ressaca.
Patrão chegando cedo na loja.
Muita coisa pra fazer.
Na hora de ir embora, confundi a moto parada do lado da minha com a minha.
A minha moto é verde. A que eu estava tentando destravar a todo custo é preta.
Quando olhei pro lado, meu patrão e o dono da moto rindo de mim. Que vergonha.
Eu PRECISO de um oftalmologista. Sério. Mas me falta tempo.

sábado, 28 de junho de 2008

Ontem algo aconteceu que enxeu de alegria.
Quando o orgulho é posto de lado e a pessoa te pede perdão, significa que ela alcançou mais uma etapa na sua escala evolutiva.
E eu, também alcancei mais uma. Eu perdoei.
Finalmente acho que o vazio no meu coração irá embora.
Eu simplesmente não conigo guardar mágoa das pessoas, e isso me fez bem.
Nada será como antes. Será melhor, eu tenho certeza.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Sexta-feira é dia de...

...ir no centro, na volta, comer um lanche, e sijogar na net...
Claro, nada mais pra fazer.
Sair sozinha eu não saio.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

6h da manhã.
A luz do dia bate na cara e em seguida meu pai quase derruba a porta dizendo que é hora de acordar.
Eu levanto, ou melhor, eu tento ir contra a força da gravidade que me mantem presa na cama. Basta tirar a coberta de cima de mim e o pouco de coragem restante vai embora.
Entre 6h e 7h, eu troco de calça, pego minha caneca de café, arrumo a cozinha, faço uma mezza faxina na casa, com direito a pano molhado e tudo, passo a roupa do pai. Pronto. Deu 7h.
Aí eu fico no pc fuçando, olhando o orkut, enrolando e fumando mais um cigarro.
7h 20min eu me troco, e finalmente, 7h 45min eu pego a minha bizinha e zarpo.
Normalmente não demoro mais que 3 minutos pra chegar na loja. Sim. Eu corro. Tanto que se um dia eu bater, viro fumaça.
8h a loja abre.
São só 3 míseras horas até a hora do almoço. Mas parecem 3 séculos. Eu levo 1h pra limpar a loja. Deveriam ser 30 minutos, mas os outros 30 eu levo relimpando onde algum desgraçado ja entrou sujando.
Na hora do almoço, eu tenho que praticamente engolir a comida. Arrumo a cozinha. Mamãe ainda não pode se esforçar. Escovo os dentes e pronto, 1h e meia ja voaram.
Volto pro trabalho, meu patrão vai almoçar e quando ele volta eu vou pro banco. É a minha hora de lazer. Depois disso as horas se arrastam, e parece que vai dar 22h e não vão dar 6h. Aí eu fico fuçando na internet.
Finalmente, o relógio abençoado toca a linha das 6. Momento de glória. A menos que algum filho da puta resolva aparecer faltando 5 minutos. Eu juro que nessas horas tenho vontade de ser uma psicopata.
Normalmente eu chego em casa só o bagaço, e tomo banho. Daí pra frente eu me jogo no meu quarto e fico na internet.
Quando os olhos já estão quase fechando sozinhos, eu vou pra cama. Lá pelas 22h.
Mal prego os olhos e já são 6h de novo, quando a luz do dia bate na cara e em seguida meu pai quase derruba a porta dizendo que é hora de acordar.
E começa tudo outra vez.

P.S.: Claro que isso não acontece religiosamente todos os dias. Mas em geral, minha semana é assim.
Salve dia da Zica!

terça-feira, 24 de junho de 2008

SEJA GURREIRO DE SI MESMO

Seja um guerreiro de si mesmo.
Um guerreiro de si mesmo é alguém que não teme
retirar a armadura que funciona como uma couraça entrincheirando
seu coração.
Um guerreiro de si mesmo é alguém que não tem a
preocupação de se proteger de seus próprios sentimentos.
Ele não vive em permanente atitude de defesa.
Ele simplesmente os aceita e os vivencia.
A vida em si já é uma batalha, uma luta pela sobrevivência.
Se lutarmos contra nós mesmos, esta batalha será muito mais
dolorosa e sofrida.
Um guerreiro de si mesmo, é corajoso o bastante
para se permitir retirar, uma a uma, as espadas que o isolam de
um perigo apenas imaginado.
Um guerreiro de si mesmo é alguém que se tornou forte o suficiente
para aceitar riscos.
A força verdadeira não é a que se apóia na defesa,
mas sim aquela que se cria através da coragem e da ousadia.
Forte não é quem se protege com armaduras.
Forte é quem abre seu coração e assume sua vulnerabilidade.
Forte é quem, apesar do temor, enfrenta os desafios.
Seja um guerreiro de si mesmo.
Enfrente o desafio de retirar a couraça que foi construída por
você mesmo ao longo do tempo.
Você descobrirá que sem ela você será muito mais
forte, pois terá a força de quem não foge de si mesmo.

AUTOR DESCONHECIDO
Existem sentimentos que não dá pra traduzir,
Existem pensamentos que nãodá pra expressar
Tem verdades que os olhos só contam ao coração
Tem frases que me obrigam a ser surdo

Tem dias que me fazem querer não acordar
Tem dores que me forçam a pensar em quem eu sou
Tem sonhos que se tornam reais até demais
O amor já me obrigou a mudar meus ideiais

A vida me mostrou como mudar de opinião
Meu próprio coração já me traiu dizendo amém
Criei em mim vontade de apostar nos sonhos meus
Com dor no coração já disse adeus

Eu já feri pessoas escondendo erros meus
Com amor e sacrificio já me dei até demais
Quando morri por dentro sem saber eu renasci
Sorrindo e dançando como as aves lá no céu

Vivendo com leões aprendi a ponderar
Dançando com golfinho aprendi a viver bem
Olhando as estrelas aprendi a expanção
Olhando pra mim mesmo sem saber me iluminei

Olhando pro meu próximo aprendi o que é doar
Pensando em Deus percebi que era ninguem
Tomando essa fraqueza comecei a crescer mais
E dentro de nirvana despertei

Autoria de Leandro Panosso - meu tato

domingo, 22 de junho de 2008

Domingo perfeito.
Familia. Dia todo. Quanto tempo.
Comemoração da casa nova da vó. Ô coisa boa.
Minha volta ao álcool. Depois de 3 meses. Nem fiquei ruim!
Acho que influências sobrenaturais me rodeavam antigamente.
Churrasquinho, chopp, conversa jogada fora, tia de longe que é um amor.
Familia.
Que saudade de um domingo assim.

sábado, 21 de junho de 2008

Uma dia (hoje) alguém muito especial me disse o seguinte:
- Lu, às vezes, a separação é necessária para que as duas pessoas possam evoluir sozinhas, sem depender uma da outra. No caso da sua amizade, a outra pessoa tem que aprender a ser menos egoísta, e você, a ter mais vontade própria e não se doar demais.
Essa pessoa? Meu irmão. Tão novinho, e me dá lições valiosas que eu quero levar pra toda vida.
Amo. Você. Muito.
Não sei por que.
Mas pão de queijo pra mim tem gosto de ressaca.
Tipo daqueles sábados seguintes à sextas-feiras regadas a muito àlcool.
Que você toma agua o dia todo e ainda fica com aquele gosto ocre na boca.
Argh!
Sabe aquela sensação de vazio qua a gente sente quando se separa de alguém?
É o que eu sinto agora.
Eu to perdidinha, sem chão, sem saber pra onde correr. Pronto, falei.
Mas, se por um lado me sinto triste e sozinha, por outro, penso que foi melhor assim.
Odeio não saber o que fazer. Odeio ficar perdida. Odeio.
Ai Deuzinhodocéu, me ajuda!

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Quando eu era pequena, pensava em não me casar e me tornar professora.
Tinha verdadeiro horror a ter um filho, porque tinha que "abrir a barriga" pra que ele pudesse sair. Me imaginava sendo carregada à força pro hospital, relutando em parir. Hoje meu maior sonho é ter um pequeno meu.
Ainda não sabia nada sobre sexo, então não me assustava. Quando aprendi do que se tratava, disse a mim mesma que jamais faria. Agora, eu adoro. Mas o faço raramente...
Pensava que o mundo todo fosse a cidade em que eu morava.
Morria de medo de fantasmas. Gostava de assistir Muppet Babies e amava o Caco. E o Pica-Pau também. E o Peter Pan. Amava os desenhos que passavam naquela época. Nada dessas balelas de hoje. Tirando Dragon Ball. Toda a série. Amo até hoje, e se voltar a passar, eu arrumo um jeito de assistir.
Sempre fui chamada de anãzinha. Culpa dos meus 1,55m.
Na pré-escola, eu fazia bagunça e brigava só pra ficar de castigo.
E sentar do lado da professora. E usar as canetinhas dela.
Amava bife de fígado e odiava beterraba. Hoje eu amo beterraba e odeio bife de fígado.
Meu pai criava coelhos. Todos eles tinham um nome. Um dia no almoço, ele me deu coelho frito pra comer. Foi a minha decepção.
Eu brincava com meu irmãozinho. E batia nele também. Ele cresceu, ficou hominho e revidou. Aí era ele quem me batia. Hoje somos unha e carne.
Eu tinha uma tia que morava numa cidade aqui perto. A gente se via tão pouco que pra chegar lá era uma eternidade, mas pra voltar se voltava voando.
A primeira vez que eu fui a show de rock em outra cidade minha mãe chorou preocupada. Eu tinha 20 anos.
Na 8º série foi quando eu tentei ficar com o primeiro menino da minha vida. Eu era o protótipo do patinho feio. O menino chegou e eu sumi. De vergonha, claro.
Ja o primeiro que eu fiquei, espalhou pra todo mundo que eu não sabia beijar. Filho da puta. Hoje ele vive me cantando e me chamando pra tomar um vinho. É claro que quando dá, eu aceito. Rá!
O primeiro que eu namorei tentou avançar o sinal, o que eu neguei, claro. Duas semanas depois ele me chutou.
O segundo nem teve tempo disso. Era tão patético que eu acabei fazendo ele me chutar, por falta de paciência.
O terceiro foi o premiado. Ou sortudo. Ou azarado. Mas também não vingou. Esse eu tive o orgulho de chutar.
A gente cresce e aprende muita coisa. Coisas boas, admito. Mas tem coisas tão ruins que se aprende na vida que às vezes dá saudade de quando eu era criança e ainda achava que o mundo era a cidade que eu morava.
Estou tão solitária...
Eu seria hipocrita dizendo que não vou sentir a falta de amigos, afinal, amigos são um pouco da nossa luz também.

Alguém aí quer adotar uma amiga?

quarta-feira, 18 de junho de 2008

São 23:23(como mostra o reloginho da postagem).
Estou aqui, acordada, sem sono.
Mamãe amanha entra em cirurgia 7h da matina.
A 4ª em 8 anos.
Uma cirugia comum para detectar uma coisa incomum.
Preocupada. Apreensiva.
Não vai ser nada. Espero.
Taxado de maluco.
Criador de teorias muito loucas.
Considerado um aluno atrasado(!!).

Pra mim, um gênio. Sem dúvidas.

Mano, meu ídolo
Quarta-feira.
Dia da Zica.

Parece brincadeira, mas no meu trabalho, toda quarta-feira é o pior dia da semana.
É o dia em que mais se ouve reclamação, que mais se toma fumo, é "O" dia.
Por isso o batizamos carinhosamente de "Dia da Zica".
Tudo bem quem tem vezes que todos os dias da semana parecem ser quartas-feiras, mas graças ao bom Deus, isso nem sempre acontece.
Mas hoje realmente ta foda.

terça-feira, 17 de junho de 2008

A vída é uma coisa engraçada.
Um dia você idolatra uma pessoa, e no outro simplesmente se pergunta por que fez isso.
Estou numa semana meio revoltada, acho que dá pra perceber.
Eu confesso que sou um poço de manteiga, daquelas bem moles que se você entra em contato, leva um litro de detergente pra tirar a maldita meleca de si.
Mas tem coisas quem simplesmente não dá pra aguentar.
Doeu.
E como doeu.
Confiar numa pessoa a vida toda, e quando ela faz algo que te magoa e você solta os cachorros, ela diz que você é quem a magoou.
Agora chega.

Decálogo da Serenidade

Procurarei viver pensando apenas no dia de hoje, exclusivamente neste dia, sem querer resolver todos os problemas da minha vida de uma só vez.
Hoje, apenas hoje, procurarei ter o máximo cuidado na minha convivência, cortês nas minhas maneiras, a ninguém criticarei, nem pretenderei melhorar ou corrigir à força ninguém, senão a mim mesmo.
Hoje, apenas hoje, serei feliz. Na certeza de que fui criado para a felicidade, não só no outro mundo, mas também já neste.
Hoje, apenas hoje, adaptar-me-ei às circunstâncias, sem pretender que sejam todas as circunstâncias a se adaptarem aos meus desejos.
Hoje, apenas hoje, dedicarei 10 minutos do meu tempo à uma boa leitura, recordando que assim como o alimento é necessário para a vida do corpo, a boa leitura é necessária para a vida da alma.
Hoje, apenas hoje, farei uma boa ação, e não direi a ninguém.
Hoje, apenas hoje, farei ao menos uma coisa que me custe fazer, e se me sentir ofendido nos meus sentimentos, procurarei que ninguém o saiba.
Hoje, apenas hoje, executarei um programa pormenorizado, talvez não o cumpra perfeitamente, mas ao menos escrevê-lo-ei, e fugirei de dois males, a pressa e a indecisão.
Hoje, apenas hoje, acreditarei firmemente, embora as circunstâncias mostrem ao contrário, que a Providência de Deus se ocupa de mim, como se não existisse mais ninguém no mundo.
Hoje, apenas hoje, não terei nenhum temor, de modo especial não terei medo de gozar o que é belo, e de crer na bondade.

João XXIII - Ângelo Joseph Roncalli

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Agora ela está triste.
Pois tudo que ela disso no post anterior foi por água abaixo.
Mais uma vez ela se magoou com amizades.
E foi a mágoa mais dolorida de toda a sua vida.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Ela era introvertida, sempre de cara fechada, dando a impressão de poucos amigos.
Ela não fazia amizades, mas adorava brigar com quem caçoava dela.
Apesar de ter nascido na cidade, comportava-se como se viesse do meio do mato.
Não, falava com ninguem que não conhecia, era arredia, e não gostava que mandassem nela.
Quando entrou para a escola, começou a perceber que para ser aceita deveria fazer parte de um grupo, e escolheu o seu. Meninas nada parecidas no jeito de ser, mas que eram toleraveis.
E assim foi, ano após ano, mudando de grupos sempre, e cada vez mais sentindo a falta de se encontrar em algum onde não enxergasse tantas diferenças. E sentindo a falta de amigos veradeiros.
E quanto mais via essas diferenças, mais gostava do seu ambiente familiar, onde sabia que era tratada como ela realmente era.
O tempo passou e ela se viu com seus 17 anos. Todo esse tempo, tantos grupos feitos e desfeitos, e ela ainda se sentindo sozinha.
Ela desistiu de procurar amigos. Ja tinha aceitado que em nenhum lugar seria aceita porque simplesmente não admitia a extrema futilidade das pessoas.
Tentou arrumar um namorado, mas se arrependeu, pois o infeliz só queria se aproveitar.
Tentou de novo, e se arrependeu de novo.
Ela tinha uma amiga. E melhor amiga de sua vida toda e ela não sabia.
Elas se viam sempre, ja tinham ido juntas à escola, se consideravam muito.
Mas também tinham diferenças. Enquanto uma se sentia presa à familia, a outra tinha muitos amigos e participava de um grupo diferente. E tinham religiões totalmente contrarias.
Nunca tinham pensado no que poderia acontecer.
Terminaram os namoros quase juntas. E decidiram sair pra se distrair.
E começaram a sair mais e mais, e descobriram que tinham muitas coisas em comum, e a cada dia aprendiam mais uma com a outra.
Ela tinha um irmão, que começou a sair junto, e logo eram o trio inseparável.
E fizeram amigos, muitos amigos. Pessoas diferentes, mas iguais na maneira de pensar e agir.
E bagunçaram. E riram. E choraram. E brigaram muito também. Se mantinham juntos em meio às dificuldades.
E alcançaram a liberdade.
Hoje ela se sente completa. As pessoas que ela sempre procurou estavam pertinho, e ela nunca tinha notado. Agora, ela só tem a agradecer.
Esse texto vai pra duas pessoinhas que eu amo de paixão, e que sempre vão estar no meu coração. Eles sabem que são eles.

domingo, 1 de junho de 2008

Vivo apaixonada pelas riquezas do mundo,
apesar de existirem tantas coisas para se preocupar.
Comemoro o nascer do sol,
minhas plantas quando ficam bonitas,
uma criança que sorri.
Enxergo Deus em cada particula existente...
Tenho contratempos na vida,
mas sei que nada acontece sem que Ele saiba.
Tudo tem uma razão...
Mude, mas comece devagar, porque a direção
é mais importante do que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho, ande por outras ruas,
calmamente, observando com cuidado.

Tome outro ônibus
Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os seus sapatos velhos.Procure andar descalço alguns dias.

Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque,
e ouvir o canto dos passarinhos.
Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.
Durma no outro lado da cama... depois, procure dormir em outras camas.
Assista a outros programas de tv, compre outro jornais...leia livros.

Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde.Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos,
novas cores, novas delícias.

Tente o novo todo dia.
O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito,
o novo prazer, o novo amor, a nova vida.

Tente.Busque novos amigos.Tente novos amores.
Faça novas relações.
Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes,
Tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa
Escolha outro mercado...outra marca de sabonete, outro creme dental...tome
banho em novos horários.

Use canetas de outras cores.Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro,compre novos óculos, escreva outras poesias.

Joque fora os velhos relógios,
quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco.Vá a outro cinemas, outros cabeleireiros,outros teatros,
visite novos museus.Mude.Lembre-se de que a Vida é uma só.
E pense seriamente em arrumar um outro emprego,
uma nova ocupação, umtrabalho mais light,mais prazeroso, mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.
Seja criativoE aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem
destino.Experimente coisas novas.Troque novamente

Mude de novo
Experimente outra vez
Você certamente conhecerá coisas melhores e piores do que as já
conhecidas, mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia.
Só o que está morto não muda!
Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco,sem o qual a vida não vale a pena!

(Edson Marques)

Respondendo:
Edson Marques: Puxa, me desculpa, na verdade eu não lembro onde encontrei esse poema, mas estava escrito exatamente assim!! Mas ja mudei a autoria, e adorei mesmo!!

Estratégias Mentas

O que você deve fazer de dentro para fora
Pense sempre, de forma positiva. Toda vez que um pensamento negativo vier à sua cabeça, troque-o por outro!
Para isso, é preciso muita disciplina mental. Você não adquire isso do dia para a noite; assim como um “atleta”, treine muito.
Risque a palavra culpa do seu dicionário. Não se permita esta sensação, pois quando nos punimos, abrimos nossa retaguarda para espíritos opressores e agressores, que vibram com nossa melancolia. Ignore-os.
Não deixe que interferências externas tumultuem o seu cotidiano. Livre-se de fofocas, comentários maldosos e gente deprimida. Isto é contagioso.
Seja prestativo com quem presta. Sintonize com gente positiva e alto astral.
Não se aborreça com facilidade e nem dê importância às pequenas coisas.
Quando nos irritamos, envenenamos nosso corpo e nossa mente.Procure conviver com serenidade e quando tiver vontade de explodir, conte até dez.
Viva o presente. O ansioso vive no futuro. O rancoroso, vive no passado. Aproveite o aqui e agora. Nada se repete, tudo passa.
Faça o seu dia valer a pena. Não perca tempo com melindres e preocupações, pois só trazem doenças.

***

O que você deve fazer de fora para dentro
A água purifica. Sempre que puder vá a praia, rio ou cachoeira. Em casa, enquanto toma banho, embaixo do chuveiro, de olhos fechados, imagine seu cansaço físico e mental e que toda a carga negativa está indo embora por água abaixo.
Ande descalço quando puder, na terra de preferência. Em casa, massageie seus pés com um creme depois de um longo dia de trabalho. Os escalde em água morna. Acrescente um pouco de sal para se descarregar.
Ouça músicas que o façam cantar e dançar. Seja qual for o seu estilo preferido, a vibração de uma canção tem o poder de nos fazer sentir vivos , aflorando a nossa emoção e abrindo o nosso canal com alegria.
Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo o impeça de tentar.
Liberte-se!!! Sempre que puder livre-se da rotina e pegue a estrada, nem que seja por um único dia.Conheça novos lugares e novas pessoas.
Viva a Vida!!!!!Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque... embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu. O medo nos afasta das derrotas....mas das vitórias também!!!!!!

A logica de Einstein

Conta certa lenda, que estavam duas crianças patinando
num lago congelado.
Erauma tarde nublada e fria, e as crianças brincavam
despreocupadas.
De repente, o
gelo se quebrou e uma delas caiu,
ficando presa nafenda que se formou.
Aoutra, vendo seu amiguinho preso, e se congelando,tirou um dos patins e
começou a golpear o gelo com todas as suas forças,
conseguindo por fim,quebrá-lo e libertar o amigo.
Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia
acontecido, perguntaram ao
menino:- Como você conseguiu fazer isso? É impossível que
tenha conseguido quebrar o
gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis!
Nesse instante, um ancião que passava pelo local,comentou:
- Eu sei como ele conseguiu.Todos perguntaram:
- Pode nos dizer como?
- É simples: - respondeu o velho.
- Não havia ninguém ao seu redor para lhe dizer que não
seria capaz.

(Albert Einstein)
A vida é uma dadiva que não deve ser desperdiçada...
Deve ser vivida, deve ser cultivada, desde que não haja abusos...
O ser humano nunca esta contente com a sua vida
E quase sempre deseja viver a vida de alguem
Que julga "mais feliz"
O que ele não sabe
É que essa pessoa pode levar uma vida muito pior...
Muitas pessoas se julgam fracas
E muitas vezes olham as pessoas ao seu redor
E pensa "Por que não posso ter a força dele(a)?"
Mas não vêem
Que aquela pessoa, por traz da sua aparente força
Pode ser uma pessoa fraca...
De pensamentos
De atitudes...
De espirito...
De fé...
Por maior que pareça seu problema
Não deixe que ele tome conta de você
É você quem tem o dominio sobre seu corpo
Quem não dá importancia às doenças do corpo
Nunca fica doente
Mas se essa mesma pessoa
Dá importância às doenças da mente
Será sempre uma pessoa preocupada e pessimista
Experiência própria...
Procure ser uma pessoa mais otimista
Eu também estou tentando
Senão, que argumentos terá
Quando alguem te pedir um conselho?
Às vezes uma pessoa aflita
Espera muito mais do que um simples "Calma, tudo vai dar certo!"
Palavras de ânimo não se constituem apenas dessa expressão.
Não busque palavras dificeis, elas muitas vezes não chegam a nada...
Palavras simples podem fazer a diferença para quem ouve...
Basta ter a idéia certa.
Mude.E faça a mudança acontecer à sua volta também.

Por Luciana Panosso
Já quis ser igual às pessoas normais,
mas percebi que sou diferente e não vou mudar, e talvez isso faça de mim uma pessoa especial...
Já quis voar.
Já quis ser professora, astrônoma, cientista, bióloga, quimica, poliglota;
o que consegui foi aprender a fuçar em computadores e celulares.
Já quis dar a volta ao mundo.
Já quis pilotar um avião. Pensando bem, ainda quero.
E pular de pára-quedas também.
Já quis casar com Mel Gibson. Eu tinha 5 anos.
Ja tive um amor platônico por um vizinho.
Hoje só tenho saudades, pois ele partiu desse mundo.
Já tive medo de escuro.
Ja tive medo de altura.
Ja tive sonhos repetidos com coisas assustadoras.
Ja tive pesadelos que pareciam reais.
Ja quis morrer.
Ja quis ser mais velha.
Ja quis ser mais nova.
Ja quis saber sobre vidas passadas.
Ja fui politicamente incorreta.
Ja fui CDF.
Ja vi o mar.
Ja fiz, vi, quis e tive mtas coisas.
Assim, sendo, coisas boas ou ruins, minha vida é completa.
Eu gosto do som da chuva. Eu gosto do cheiro da chuva. Eu gosto de ver estrelas. Eu gosto do barulho da pipoca estourando. Eu gosto de andar sem rumo. A pé. Eu gosto do mato, da terra, de rios e cachoeiras. Eu gosto de montanhas. Gosto de tornados. Pela televisão. Eu gosto de joaninhas. Eu gosto muito, muito da chuva. Eu gosto do cheirinho do alho fritando na panela. Eu gosto de colocar musica bem alta e cantar mais alto ainda, como se só existisse eu no mundo. Eu gosto de organização. Eu gosto de dormir abraçadinho. Ou acho que gosto, ja que nunca dormi assim. Eu gosto de dirigir. Eu gosto de fila de banco, vejo cada coisa! Eu gosto de coisas assustadoras. Me intitularam esquisita por isso.

Eu não gosto de gente lerda. Nem no transito, nem na calçada. Eu não gosto de dormir sem barulho, desde que não seja muito alto. Eu não gosto de escadas. Sonho muito que estou caindo de uma. Eu não gosto de indecisão. Infelizmente sou uma exímia indecisa. Eu não gosto que, quando eu arrumo as coisas, alguem vem em seguida e bagunça tudo. Eu não gosto que fiquem me imitando quando eu falo. Eu não gosto de quando eu começo a escrever, alguem me atrapalha, me fazendo esquecer tudo.

Foi o que aconteceu agora.
Quero poder desfrutar da minha vida sem medo.
Quero sorrir.
Sentir coisas boas.
Ser feliz.
Quero poder dizer o que penso sem que as pessoas achem que eu sou uma maluca.
Quero viver um amor puro, intenso.
Quero dar um beijo apaixonado, na chuva.
Quero alguém diferente de tudo que eu já vi.
Quero pensar em coisas boas,
Ser mais ativa
Não passiva.
Quero viver cada dia como se não fosse mais rever o nascer do sol.
Quero reconhecimento.
Menos julgamentos
Menos ignorância por parte das pessoas.
Quero que as pessoas entendam
Que por trás da aparente “garota irresponsavel”
Existe uma mulher madura.
Com espírito de criança.
Quero que saibam que não sou ingênua
Apenas preservo a fé no ser humano.
Não sou um barril de pólvora
Me irrito com injustiças.
Não sou uma “sonsa-insossa”
Cultivo o amor Universal.
Não quero um milhão de amigos.
Se forem poucos, mas verdadeiros, serão raridades
Verdadeiros tesouros...
Não preciso de uma vida celebre para ser emocionante...
Vencer cada dia com força e coragem
Já me faz imensamente feliz...
"Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta. O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. 

O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar. Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que lhe provoca. Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera. Você ama aquela petulante. 

Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco. Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abo mina o Natal e ela abomina o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então? Então que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.

Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro e é meio galinha. Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e mesmo assim você não consegue despachá- lo.Quando a mão dele toca sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. 

Por que você ama esse cara? Não pergunte para mim, você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica tem seu valor. É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente; emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível. Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, porque está sem um amor? Ah, o amor, essa raposa!!! 

Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados. Não funciona assim. Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível. Honestos existem aos milhares, generosos têm as pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!!! MAS NINGUÉM CONSEGUE SER DO JEITO QUE O AMOR DA SUA VIDA É!"

Esse texto eu encontrei perdido no meu e-mail...mas não faço ideia de onde tirei, pq eu mesma mandei pra mim...Mas vasculhando lá, reencontrei, e li, e gostei da mensagem, por isso resolvi postar aqui.

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Este texto que segue abaixo foi escrito por Nizan Guanaes, na condição de paraninfo de uma turma que se formava pela Faap (SP).
Olhem só o que o publicitário escreveu... (deve ser por isso que é um dos melhores redatores do mundo e dono da DM9, aquela dos bichinhos da Parmalat):

"Dizem que conselho só se dá a quem pede. E, se vocês me convidaram para paraninfo, estou tentado a acreditar que tenho sua licença para dar alguns.

Portanto, apesar da minha pouca autoridade para dar conselhos a quem quer que seja, aqui vão alguns, que julgo valiosos.

Não paute sua vida, nem sua carreira, pelo dinheiro. Ame seu ofício com todo o coração. Persiga fazer o melhor. Seja fascinado pelo realizar, que o dinheiro virá como conseqüência. Quem pensa só em dinheiro não consegue sequer ser um grande bandido, nem um grande canalha.

Napoleão não invadiu a Europa por dinheiro. Hitler não matou 6 milhões de judeus por dinheiro. Michelangelo não passou 16 anos pintando a Capela Sistina por dinheiro. E, geralmente, os que só pensam nele não o ganham porque são incapazes de sonhar. E tudo que fica pronto na vida foi construído antes, na alma.

A propósito disso, lembro-me de uma passagem extraordinária, que descreve o diálogo entre uma freira americana cuidando de leprosos no Pacífico e um milionário texano. O milionário, vendo-a tratar daqueles leprosos, disse: - Freira, eu não faria isso por dinheiro nenhum no mundo. E ela responde: - Eu também não, meu filho.

Não estou fazendo com isso nenhuma apologia à pobreza, muito pelo contrário. Digo apenas que pensar em realizar tem trazido mais fortuna do que pensar em fortuna.

Meu segundo conselho: pense no seu País. Porque, principalmente hoje, pensar em todos é a melhor maneira de pensar em si.

Afinal é difícil viver numa nação onde a maioria morre de fome e a minoria morre de medo. O caos político gera uma queda de padrão de vida generalizada. Os pobres vivem como bichos, e uma elite brega, sem cultura e sem refinamento, não chega a viver como homens. Roubam, mas vivem uma vida digna de Odorico Paraguassu. Que era ficção, mas hoje é realidade, na pessoa de Geraldo Bulhões, Denilma e Rosângela, sua concubina.

Meu terceiro conselho vem diretamente da Bíblia: seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito. É exatamente isso que está escrito na carta de Laudiceia: seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito. É preferível o erro à omissão. O fracasso, ao tédio. O escândalo, ao vazio. Porque já vi grandes livros e filmes sobre a tristeza, a tragédia, o fracasso. Mas ninguém narra o ócio, a acomodação, o não fazer, o remanso. Colabore com seu biógrafo. Faça, erre, tente, falhe, lute. Mas, por favor, não jogue fora, se acomodando, a extraordinária oportunidade de ter vivido.

Tendo consciência de que, cada homem foi feito para fazer história. Que todo homem é um milagre e traz em si uma revolução. Que é mais do que sexo ou dinheiro. Você foi criado, para construir pirâmides e versos, descobrir continentes e mundos, e caminhar sempre, com um saco de interrogações na mão e uma caixa de possibilidades na outra.

Não use Rider, não dê férias a seus pés. Não se sente e passe a ser analista da vida alheia, espectador do mundo, comentarista do cotidiano, dessas pessoas que vivem a dizer: "eu não disse!";, "eu sabia!" Toda família tem um tio batalhador e bem de vida. E, durante o almoço de domingo, tem que agüentar aquele outro tio muito inteligente e fracassado contar tudo que ele faria, se fizesse alguma coisa.

Chega dos poetas não publicados! Empresários de mesa de bar. Pessoas que fazem coisas fantásticas toda sexta de noite, todo sábado e domingo, mas que na segunda não sabem concretizar o que falam. Porque não sabem ansiar, não sabem perder a pose, porque não sabem recomeçar. Porque não sabem trabalhar. Eu digo: trabalhem, trabalhem, trabalhem. De 8 às 12, de 12 às 8 e mais se for preciso.

Trabalho não mata. Ocupa o tempo. Evita o ócio, que é a morada do demônio, e constrói prodígios.

O Brasil, este país de malandros e espertos, dá vantagem em tudo, tem muito que aprender com aqueles trouxas dos japoneses. Porque aqueles trouxas japoneses que trabalham de sol a sol construíram, em menos de 50 anos, a 2ª maior megapotência do planeta. Enquanto nós, os espertos, construímos uma das maiores impotências do trabalho.

Trabalhe! Muitos de seus colegas dirão que você está perdendo sua vida, porque você vai trabalhar enquanto eles veraneiam. Porque você vai trabalhar, enquanto eles vão ao mesmo bar da semana anterior, conversar as mesmas conversas, mas o tempo, que é mesmo o senhor da razão, vai bendizer o fruto do seu esforço, e só o trabalho lhe leva a conhecer pessoas e mundos que os acomodados não conhecerão. E isso se chama sucesso."

Nizan Guanaes

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Esse texto foi pego emprestado do blog Garotas que Dizem Ni, pois se aplica exatamente à minha vidinha...

Hoje eu vou tomar um belo e saudável café da manhã. Nada de Coca-Cola e bolacha recheada. Vai ter suco de laranja (com pelinha, porque faz bem), queijo branco, frutas e torrada de pão integral. Hoje eu também vou almoçar melhor. Aliás, vou cozinhar. Sem essa de tirar uma embalagem retangular de comida do congelador, enfiar no forno de microondas, esperar três minutos e mandar tudo para dentro enquanto assisto a algum programa estúpido na televisão. Hoje eu não vou ver televisão. Vou começar a ler um livro bem casca-grossa, tipo “Os Lusíadas”. E, quando for jantar, não será um saco gigante de pipoca na sessão das 11 no cinema – e sim uma sopinha leve, reconfortante e nutritiva.

Hoje eu vou arrumar de uma vez por todas as roupas dentro das gavetas da cômoda. Vou dobrá-las como se deve (e não apenas amarfanhá-las de qualquer jeito). Daí, vou guardá-las levando em consideração alguns critérios, como, por exemplo, usabilidade. As peças que eu uso mais ficam em cima, as que eu uso menos ficam em baixo. Vou separá-las também por tons e por roupas de calor, frio ou meia estação. Hoje vou terminar meu casaquinho de crochê, pregar o botão que caiu há quatro meses daquela camisa e fazer barras nas calças. À máquina. Sim, hoje eu vou voltar a usar minha até então empoeirada máquina de costura. E depois vou arrumar toda a bagunça, sem deixar um pedaço de linha fora do lugar.

Hoje eu vou criar coragem e olhar meu saldo bancário. Vou vasculhar meu extrato e, de calculadora em punho, vou reparar se todos os pequenos impostos e taxas estão dentro da normalidade. Vou começar a prestar atenção nos meus gastos, tomando nota de todas as compras que eu faço e vou parar de gastar com coisas bobas de que não preciso. Vou aprender a economizar. E, ainda, vou sair pela casa recolhendo todas as moedas perdidas na lavanderia, no fundo da minha bolsa, nos sacos de supermercado. Vou fazer planos para o futuro, aplicar em investimentos, agir mais de acordo com a minha idade. Hoje vou também brincar com bolhas de sabão e adivinhar formas de bichos nas nuvens.

Hoje eu vou limpar a geladeira. Jogar fora todos aqueles potinhos preenchidos por um dedo de conteúdo irreconhecível. E tomar uma providência sobre o leite que passou da validade e o pão que começou a criar uma colônia de microorganismos. Vou passar papel toalha com desinfetante na prateleira em que pingou a aguinha que fica estacionada na bandeja de presunto. Vou fazer um bolo com os dois últimos ovos antes que apodreçam e vou encher a forma de gelo. Hoje vou ao supermercado comprar apenas o essencial, sem ceder a tentações como salgadinhos sabor cheddar. Vou comprar alface sem agrotóxico e lata de ervilha sem um amassado sequer.

Hoje eu vou sair para passear pelo bairro. Não vou fugir das subidas muito íngremes nem vou amaldiçoar o vento gelado que começou a soprar. Vou falar “bom dia” para todas as pessoas que cruzarem meu caminho, até para o chato do vizinho da frente. Ok, hoje não vou chamar o vizinho da frente de chato, nem vou ficar remoendo a vez em que ele atravessou a rua e só para vir reclamar do barulho do meu sino de vento de bambu. Hoje vou pegar o metrô e ir ao museu. Mas, desta vez, não vou ficar apenas enfiada na lojinha – vou entrar nas exposições, prestar atenção em cada pincelada e ler cada uma das fichas explicativas ao lado das obras. Vou me inspirar e ter uma grande idéia.

Hoje eu vou ligar para o dentista para remarcar a consulta que perdi há um mês. Aproveitando o ensejo, vou agendar visitas a todos os médicos de todas as especialidades. Vou parar de adiar exames chatos e tentar marcar um check-up. Hoje vou levar meus óculos na óptica para ajustarem as hastes e depois vou passar no cabeleireiro para finalmente dar um jeito na juba que tomou conta da minha cabeça. Hoje vou fazer as sobrancelhas e as unhas. Vou aposentar a calça jeans e o tênis para vestir meia fina e sapato de salto alto. Hoje não vou tirar o sapato de salto alto depois de cinco minutos de caminhada. Vou andar pela sombra, desviar dos buracos, prestar atenção onde piso e olhar para frente.

Hoje eu vou ler o jornal do começo ao fim, não apenas a parte de quadrinhos. Vou passar a entender de bolsa de valores a política interna e externa. Vou fazer as palavras cruzadas até o fim, sem ceder à tentação de olhar as respostas no final da página. Hoje vou experimentar a culinária de um país distante e, quando for à padaria, vou pedir meu troco em chicletes. Vou voltar à academia e não vou desistir no dia seguinte. Vou fazer abdominais, correr na esteira e finalmente aumentar a carga dos pesos. Hoje vou planejar minha próxima viagem ainda que não tenha a menor idéia de como e quando e onde. Vou aprender a andar de skate e assoviar com os dois dedos.

Hoje eu vou plantar uma árvore e arrancar todas as ervas daninhas que insistem tomar conta do jardim dos fundos. Vou tentar exterminar as formigas que, atraídas pelo pote de açúcar, começaram a aparecer. Hoje vou começar um diário de papel (com cadeado) e um quebra-cabeça de cinco mil peças, daqueles com um céu imenso e uma montanha refletida no lago espelhado. Vou gravar um CD com minhas músicas favoritas de todos os tempos e vou tocá-lo enquanto ataco a pia de louça suja. Hoje vou deixar a gata fazer massagem na minha barriga sem me preocupar se ela vai puxar um fio da minha blusa nova. Vou dar uma gargalhada de perder o fôlego depois de chorar até os olhos incharem.

E se eu não começar logo, hoje já virou ontem.

Regras para a vida

Regra nº
A vida não é fácil, acostume-se com isso.

Regra nº 2
O mundo não está preocupado com sua auto-estima. O mundo espera espera que vc faça alguma coisa por ele ANTES de sentir-se bem com vc mesmo.

Regra nº 3
Você nâo ganhará R$20.000,00 por mês assim que sair da escola. Você não será vice-presidente de uma empresa com carro e telefone à disposição antes que vc tenha conseguido comprar seu próprio carro e telefone.

Regra nº 4
Se vc acha seu professor rude, espere até ter um Chefe. Ele não terá pena de vc.

Regra nº 5
Vender jornal velho ou trabalhar durante as férias não está abaixo de sua posição social. Seus avós têm uma palavra diferente para isso: eles chamam de oportunidade.

Regra nº 6
Se vc fracassar não é culpa dos seus pais. Então não lamente seus erros, aprenda com eles.

Regra nº 7
Antes de nascer, seus pais não eram tão críticos como agora. Eles só ficaram assim por pagar suas contas, lavar suas roupas e ouvir vc dizer que eles são "ridículos".Então antes de salvar o planeta para a próxima geração, querendo consertar os erros da geração dos seus pais, tente limpar seu próprio quarto.

Regra nº 8
Sua escola pode ter eliminado a distinção entre vencedores e perdedores, mas a vida não é assim.Em algumas escolas você não repete mais de ano e tem quantas chances precisar até acertar. Isto não se parece com ABSOLUTAMENTE NADA na vida real.Se pisar na bola, está despedido.... RUA!! Faça certo da primeira vez!

Regra nº 9
A vida não é dividida em semestres. Você não terá sempre os verões livres e é pouco provável que os outros empregados o ajudem a cumprir suas tarefas no final de cada período.

Regra nº 10
Televisão NÃO é vida real.Na vida real, as pessoas tem que deixar o barzinho ou a boite e ir trabalhar.Regra nº 11Seja legal com os C.D.F´S - aqueles estudantes que os demais julgam que são uns babacas. Existe uma grande probabilidade de você vir a trabalhar PARA um deles.

( Bill Gates)
Blog novo!!!!!!!!!!!