domingo, 28 de setembro de 2008

Foi um dia liiiiiiiiiiiindo!!!
O dia foi cansativo, mas à noite eu saí pra encontrar uma pessoinha muito especial que apareceu na minha vida!
Uma graça...um doce, uma amor de pessoa! Perfeito!!
Uhuuuu!!

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Hoje baixou a Isaura em mim.
Fiz faxina na loja toda!
No mais, nada de anormal, pelo menos parece que a zica de ontem passou.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Hoje foi um dia lazarento.
Só tomei fumo, só encheção de saco, inventação de moda, e eu quase caí com a moto na hora de sair. Aff
Será amanhã um dia melhor???

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Ele é um dos anjos que eu tenho na vida.
Mas é MEU anjo da guarda particular.
A gente briga, se ama, se dá febre, mas eu dou mais febre nele.
Ele me dá conselhos, broncas, e ri das minhas palhaçadas.
Ontem, quando eu estava contando sobre uma reportagem que eu vi que os ET's iriam pousar na Terra no dia 14 de outubro, ele me solta: "Eles vão vir te cumprimentar pelo seu aniversário", que é no dia 15.
Mas hoje é ele quem está ficando velhinho. O meu tatão.


Parabéns meu gatinho!!

terça-feira, 16 de setembro de 2008

A vida, essa brincalhona...sempre me dá uma rasteira.
Mais uma pra minha coleção. E nem vale a pena colocar aqui.
Quando é que eu vou ter paz??
Até quando eu to quieta no meu canto, tem sempre alguem pra me perturbar.
Ja deu né?

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

A Felicidade está nas pequenas coisas da vida

Está no cantar dos passaros
Na chuva em meio ao sol da tarde, que enche de luz a todas as coisas
Está no sorriso meigo de uma criança
Nos gestos simples de carinho por parte de alguem muito querido
Está naquela flor que você cuida com tanto carinho

Está na capacidade de enxergar, não as coisas grandiosas,
Mas sim de saber descobrir nos pequenos detalhes um sentido a mais para a vida.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Mais um pouco de mim

Eu sou a confusão, a indecisão.
Eu sou o realismo, não o otimismo. Sou pé-no-chão.
Sou perfeccionista, gosto de tudo no seu devido lugar.
Sou justa. Odeio gente que quer crescer em cima dos outros.
Não demonstro sentimentos que não possuo. Assim como não tolero quem eu não gosto só para parecer educada.
Se amo, amo pra valer, intensamente. E sofro depois.
Eu quebro a cara e juro a mim mesma não me entegar de novo. E me entrego.
Eu me dôo por um amigo, por um amor, por qualquer pessoa que eu penso que mereça. Em 90% dos casos eu me ferro. Mas nem por isso vou ferrar todo mundo.
Eu sou uma "boa samaritana". Mas também posso ser uma "má samaritana".
Não me faça perder a paciência. Nem me irrite.
Não tenho as melhores palavras pra confortar alguem. Mas sou uma ótima ouvinte, falando na hora certa. Às vezes o que a pessoa precisa não é de alguem pra rebaer o que ela diz. Só precisa de um ouvido amigo.
Sei machucar as pessoas também. Mas não o faço à toa. Só quando chego no limite da tolerância. Posso proferir palavras que atingem onde mais dói. Pra pessoa sentir a dor que causa às outras.
Posso ser ao mesmo tempo um mar calmo e um vulcão furioso. Tudo depende dos fatos e do tempo. E, claro, das pessoas também. Posso perdoar as pessoas que amo 1 milhão de vezes se for preciso. Mas não admito uma unica gafe de quem se intromete na minha vida sem ser convidado.
Sou o calor e o frio.
O amor e o ódio.
O inverno e a primavera.
A menina veneno e a menina doce.
A agua e o vinho.
Sou imprevisivel, instavel, mutavel.
Sou o contrario da maioria.
Sou estranha. Com pensamentos estranhos.
Sou perfeita? Claro que não! Ninguem o é.
Em varias coisas cresci. Em outras ainda sou uma criança aprendendo. Em terceiras coisas, sou uma eterna criança.
Eu sou assim.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Hoje me lembrei de quando eu era pequena. Bom, eu AINDA sou pequena, mas de quando eu era criança.
A minha casa ainda tinha quintal, era um pedaço cimentado e o restante era terra, que tinha uma horta, algumas arvores, e era o meu santuário de muitas brincadeiras.
Lembro que meus pais colocavam um colchão na parte cimentada, e eles, eu e o meu irmão deitávamos, todos juntos à noite, e ficávamos contemplando o céu estrelado.
Como era lindo...eu sempre fui apaixonada pelo céu e as estrelas à noite...
Morro de saudade daquela época, em que eu era criança, sem malicia, só conhecia o amor dos meus pais, não aquele amor que machuca, mas aquele que conforta, que faz bem.
E queria voltar àquele tempo tão bom...